Siga-nos por Email:

terça-feira, 10 de abril de 2012

Mary,Mary,Mary RESISTÊNCIA APAIXONADA


Mary, Mary, Mary
quem é você? O que faz aqui?
Ouço seus dedos tocarem as teclas do piano e sua voz rasgar meus tímpanos,
mas não consigo escutar seu coração.
Quem é você?
Qual o porquê dessa couraça?
Por que não vive sua vida? Fica na aba de suas irmãs... devias estar comigo!!!
Não te conheço é verdade, mas te amo de alguma forma.
Adoro vê-la correr pelas pradarias tropeçando em todas aquelas pedras e perdendo a sua pose esnobe.
Seu rosto quando dorme se descontrai e suas defesas ficam baixas. Com o que sonhas que te deixa tão bela?
O quê que te liberta?
Voe minha borboleta, minha dama, minha valquíria!
Seja você mesma mas só para mim,
Se derreta. Quero sentir seu calor.
E sobretudo me ame.
Alex Mainard para Mary Bennet

Ps: Bom, esse poema amoroso eu inventei para Mary Bennet de Orgulho e Preconceito porque sempre quis saber o que aconteceria a ela depois do final feliz de suas irmãs.
PS2: Também usei para uma fanfic que escrevi no nyah chamada Resistencia apaixonada.
PS3: este é o link fa fanfic: https://www.fanfiction.com.br/historia/40692/Amor_e_Resistencia

5 comentários:

  1. "Adoro vê-la correr pelas pradarias tropeçando em todas aquelas pedras e perdendo a sua pose esnobe." Dá para imaginar essa cena...super bacana...Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Valeu bel! Eu tenho ideias doidas mesmo. bj

    ResponderExcluir
  3. A imaginação pode nos levar aonde queremos, né, Aleska?
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. A imaginação pode nos levar aonde queremos, né, Aleska?
    Beijo!

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner