Siga-nos por Email:

sábado, 3 de dezembro de 2011

...E então, já é Natal!

Natal, pra mim, só tem um sentido: a alegria das crianças.
Das que podem ser alegres, diga-se.
Porque por mais que nos mobilizemos, ainda milhões de crianças não sabem o que é a alegria do Natal.
Pena que ensinamos a elas que Natal é o dia de Papai Noel lhes trazer presente. Pra consolar-nos um pouquinho, ainda dizemos que só ganha presente quem se comportou bem no ano...
Mas acredito em Papai Noel. 
Acredito em São Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira, na Turquia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos. Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo inteiro. (W)
 Papai Noel  era representado com roupas na cor verde/amarronzada (com detalhes prateados ou brancos), tipico de lenhadores. Em 1886 o cartunista Thomas Nast, representou na revista Harper's Weeklys, numa edição de Natal, o velhinho vestido com as roupas num tom mais para vermelho. 
E em 1931 a Coca-cola colocou em cartazes e propagandas o velhinho bonachão tomando seu refrigerante e caiu no gosto do povo a figura definitiva, com suas vestes vermelhas.
Em alguns lugares da Europa ele ainda é representado como o bispo Nicolau, com suas vestes religiosas, usando uma mitra episcopal, em lugar do gorro.


Há que se manter a magia, há que se encantar com a data, há que se iludir e marcar um tempo para ser feliz. Depois do Natal vem o Ano Novo e com ele a esperança, sempre, de dias melhores.
Então, Natal e Papai Noel agora são apenas peças de um jogo de interesses para que muita gente fature com a venda dos presentes; para que mais pessoas se alimentem do sonho de que a vida pode ser melhor, basta acreditar; de que presentear é preciso, pois o material vale mais que o espiritual.
Preciso contar pra meus netos que o nascimento de Jesus é a marca do Natal. Ainda não precisam saber que, de fato, nem foi em um mês de dezembro que Jesus nasceu. Que a festa do dia era uma festa pagã, em homenagem ao sol, no solstíco do inverno, e que a Igreja Católica destituiu e criou o nascimento naqueles dias, para que as homenagens fossem para Jesus. Uma boa causa, mas uma mentira que se perpetuou e hoje simboliza a festa máxima de parte do cristianismo.
Mas mesmo os católicos, que hoje negam tanto a religião, como se fosse errado acreditar em um Deus, como se fosse anacrônico frequentar uma Igreja, já que Deus está em todos os lugares, ainda assim se esqueceram que Natal é nascimento.
Simbolizando o nascimento de Jesus reforçamos o renascimento da esperança, as alegrias cotidianas, e renovamos os votos de uma felicidade que para muitos parece sempre inalcansável.
Justamente porque se resolveu vincular a felicidade ao poder econômico.
E hoje, Natal é para a maioria apenas a data de se presentear, quando muitas pessoas se endividam para o ano todo, em busca de um presente material que nunca poderá suplantar o que nos vai no coração, se este não estiver cheio de amor, fé e esperança.
Pelo teor do texto, já se sabe que não gosto do Natal.
Não como ele é visto.
Para mim, Natal é tempo de reunir a família, trocar carinho e amor.
Dos símbolos, o que me dá mais prazer de ver é o presépio. A justa representação do dia do nascimento de Jesus.
 Meu ideal da noite de Natal seria estar com todos os que amo à volta, mas tantos já se foram e alguns revezam e passam a noite com a família e no outro ano com a do cônjuge, diminuindo nossos encontros.
 Mas mantenho o coração alegre e feliz, vendo a alegria das crianças da família.
Que gostaria que representassem todas as crianças do mundo, numa noite que se perpetuasse por todas as outras do ano, com a mesma fartura e alegria.
Que o verdadeiro nascimento de Jesus seja comemorado a cada dia em cada coração.
E que nosso melhor presente seja sempre os bons sentimentos, para todos, o ano inteiro.

14 comentários:

  1. Oi Lúcia!
    Concordo em gênero, número e grau com você! Compartilho de seus sentimentos. por mais que nos chamem de nostálgicas, o natal antes deste consumismo desenfreado era mais humano, sentíamos mais o calor e o espírito entre as pessoas. Manter a magia do natal é funadamental, mas sem esquecer os valores implícitos na data.
    Beijinhos e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. Me ensina como se cria um link para
    a mensagem? Meu email é iriste@portugalmail.pt
    Bonito post sob o Natal.
    Desejo esteja bem.
    Bom fim de semana.
    Bj/Irene

    ResponderExcluir
  3. Lúcia, só tenho a concordar com o mais perfeito texto.
    A banalidade material tomou conta do final de ano, fazendo com que as pessoas não enxerguem o verdadeiro sentido do Natal.
    Prefiro assim também, passar a noite do Natal simplesmente com a família em momentos de reflexão e muita alegria.
    Xeros

    ResponderExcluir
  4. Também concordo contigo, Lucia, mas a máquina do consumismo funciona. O mais importante é passarmos com a família reunida e eu, como tu, nem sempre consigo reunir todos. Este ano em vez de virem nós é que vamos para a casa do filho e vou ganhar o melhor presente de todos: um neto.
    Bjim

    ResponderExcluir
  5. Concordo demais.
    Adorei seu blog, querida!

    ResponderExcluir
  6. Lucia


    Tens razão... Ainda ontem à noite estava comentando com o Kiko que cada vez mais me dá mais vontade de ver o Natal não relacionado com grana, com comilanças e presentes. Aqui em casa procuramos fazer apenas uma lembrança de amigo secreto e até para as crianças. Porém, no fim da noite, não sei como, as crianças estão cheias de presentes e nós, empanturrados de tantas coisas comemos,rs...

    Mas eu gosto da magia do Natal, da esperança do renascimento, da preparação da árvore, da casa...Curto isso!Esse ano, fiz um monte de papeis dom coisas escritas e são as SURPRESAS DE ADVENTO...ali, Neno vai retirando cada dia até o Natal,bilhetes onde tem de tudo, coisas simples , surpresinhas, NADA QUE TENHA A VER COM GRANA,NADA COMPRADO, pois com isso , pretendo mostrar que podemos ser felizes sem gastara NADICA DE NADA. Ele está adorando.E são coisas normais, tipo: hoje vovó vai contar mais de uma história, hoje vai poder dormir um pouco mais tarde, vamos confeccionar estrelas de natal, por exemplo são as coisinhas que estão lá no saquinho...

    Assim, pretendo que a magia seja conservada e que fique pra ele algo do Natal, além do que é mostrado na mídia!

    Bah! Fiz um jornal, desculpe!

    beijos,tudo de bom,chica e adorei te ler novamente!!!

    ResponderExcluir
  7. É isso aí, Lúcia, também estou dentro deste mesmo pensamento e sentimento.
    Como as famílias cresceram, novos personagens foram chegando, agregados daqui e dali, penso que seria excelente se o natal fosse comemorado não só em um dia apenas, mas em muitos durante o mês de dezembro. Assim, quem sabe, poderíamos passar um dia desses com nossos filhos e parentes, outro com sogras das filhas e dos filhos, tias, avós dali e daqui e todos os netos de todos os lados.
    Claro que isso é impossível!
    O jeito então é não deixarmos o coração se entristecer porque não podemos ficar todos juntos, os dias são outros, né mesmo?
    Excelente texto para reflexão e conhecimento do que é o natal realmente!
    beijo grande, carioca

    ResponderExcluir
  8. Lúcia, o único sentido do Natal é o nasciemnto de Jesus e este já está esquecido para muitos.
    No sábado a biblioteca da nossa cidade fez uma acao onde as criancas foram para pintar a janela e o tema era inverno e natal. Todas as criancas inclusive a minha filha pintou o Papai Noel, o boneco da neve. Nenhuma pintura foi o do menino Jesus. Lamentavel eu pensei. E imagina, aqui em casa falamos sobre o assunto, mas Papai Noel e seus presentes fazem o mundo da fantasia...

    Parabéns pelo texto tao bem escrito.

    Te desejo uma semana abencoada

    Bjao

    ResponderExcluir
  9. Eu estou de pleno acordo, Lúcia. Também considero o Natal uma data triste. Primeiro porque o verdadeiro espírito (quando é lembrado), é muito de passagem, como se fosse uma expiação de culpas para mascarar o verdadeiro espírito que contagia a quase todos, o de comprar, comprar, comprar. Depois, que perdi a minha mãe faz tempo e ele aniversariava exatamente no dia de natal, para nós da família um verdadeiro "plus" na alegria da data. E, por último, agora que minhas filhas estão criadas, cada ano consigo no máximo passar junto com uma delas, nunca com as duas ao mesmo tempo. No mais, há ainda o nosso encontrão familiar onde a grande maioria comparece e dá uma boa alegria. Abraços e ótima semana.

    ResponderExcluir
  10. Oi Lúcia!!
    O natal perdeu o sentido a séculos...
    Tudo é comércio!
    E Jesus nem nasceu 25/12....
    Dizem que foi em março ou abril???
    Tudo armação histórica!!
    Natal é todo dia!!!
    Tem gente que nessa época do ano vira anjo!Affffff!!!!
    Mudando de assunto...
    Adorei seu comentário sobre a cor vibrante!!
    No próximo post vc vai ficar feliz com a cor escolhida!
    Aguarde!
    bjss

    ResponderExcluir
  11. É preciso deixar o consumismo de lado e viver o verdadeiro sentido do Natal. Ótimo texto!!!
    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  12. Olá Lúcia.
    Que bom que você está aqui.
    Perfeito seu texto.
    Estou sentindo sua falta.
    Beijo
    Maria Luiza (Lulú)

    ResponderExcluir
  13. Bom dia, amiga!!!!!!!!!!!!!!
    Eu gosto do Natal, por ser nascimento, renovação de compromissos... mas este ano estou de "maré baixa" - nem me animei a enviar cartões para os amigos.... Não estou conseguindo renascer ...

    ResponderExcluir
  14. Post da Lucia é sempre coisa muito séria! A_DO_RO!

    Querida, quanta pesquisa, nossa vc é mais uma blogueira a quem digo: deveria escrever um livro. Ia vender muito!

    Natal pra mim é casa da minha mãe. Ela adora, e leva a sério a festa pelo nascimento de Jesus.

    Presentinho rola, mas é só um detalhe.

    bjnhs e ótimo final de semana, Lucinha!

    PS: amei todos os seus comments, alegraram meu coração.

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner