Siga-nos por Email:

terça-feira, 14 de junho de 2011

SAÍDA

Há uma porta e uma janela no mundo.

Alguns vão embora em passos lentos.
Outros vão apressados.
Outros vão vagarosos.

Pela janela, a porta voa,
deixando a parede,
ficando a pessoa.

O artista vai até onde a porta estava
e desenha uma porta com asas.
(Moacir Eduão)

5 comentários:

  1. Nossa, que coisa linda sua poesia!
    Adorei isto: 'Pela janela, a porta voa, deixando a parede, ficando a pessoa."
    A cada dia esta blogosfera apresenta pessoas com enorme talento para a escrita. Parabéns!
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  2. Lindo demais.

    A porta com asas, a alma que não precisa de asas..

    beijo

    ResponderExcluir
  3. Hoje estávamos discutindo eu e um grupo ou um grupo de pessoas e eu que a globalização cria portas, mas não oferece chaves... Fico pensando que prefiro as portas que os artistas pintam... elas nascem abertas todos podem passar e encontrar o lugar brilhante onde as palavras criam sentidos!!!

    Cheros, amei!!!

    ResponderExcluir
  4. Se a porta limita a liberdade, então vale mesmo dar asas a ela.
    Nada como ser livre!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Meus poemas do blog são normalmente inéditos. Crio-os para o blog, pensando nessa casa acolhedora que são vocês, hoje. Faço desse exercício uma almofada onde repousa minha alma veterana e meu corpo infante. Obrigado Beth/Lilás, Sônia, Pandora e demais blog-amigos. Um dia, tomaremos um vinho, juntos, aos pés da poesia em que nos tornamos. Seremos, nós, cada estrofe... Abraços!

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner