Siga-nos por Email:

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Especial Agatha Christie: Sobre a vida de Agatha Christie

Hellopeople! Começa hoje um especial da Rainha do Crime. Pesquisei bastante para reunir o maior número de dados e fazer um especial completo, por que é isto que seus fãs merecem, certo? E quem não é fã, quem sabe mude de ideia depois de saber tanto sobre esta fantástica escritora e suas obras.

Obs.: Há trechos retirados de sites da internet e de sua Autobiografia.

Sobre a vida de Agatha Christie


Nascida Agatha Mary Clarissa Miller, econhecida como "Duquesa da Morte", "Rainha do Crime", dentre outros títulos,deu “vida” os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e TuppenceBeresford, Ariadne Oliver e Parker Pyne, que aparecem em mais de um livro da autora. Agatha também criou um pseudônimo, Mary Westmacott, para publicar seus romances, pois não se tratavam mais de histórias policiais, e sim, de amor, conseguindo assim, não confundir seus leitores. Agatha Christie possuía uma grande imaginação e um grande dom como narradora. Quando jovem, teve dúvidas sobre que carreira seguiria, tentando, inclusive, se tornar pianista. Mas foi com o empurrão de sua irmã, Madge, que Agatha começou a escrever.

Madge desafiou Agatha a criar um livro, usando toda aquela criatividade que esta sempre teve. Em sua autobiografia Agatha inclusive comenta, várias vezes, que era possível que sua irmã fosse melhor escritora que ela própria, pois Madge escrevia contos com muita habilidade.

O pai de Agatha, Frederick, era americano e passava a maior parte do tempo viajando, já a mãe, Clara, era uma mulher muito tímida, de quem Agatha herdou boa parte de sua personalidade. O casal tinha mais dois filhos, Madge e Monty, ambos mais velhos que a escritora.


Agatha casou-se em 1914, com o Coronel Archibald Christie, um aviador da Força Aérea britânica. Com ele, teve sua única filha, Rosalind. Seu casamento com o coronel durou 14 anos, porém quando se separaram preservou o sobrenome “Christie”, porque já estava estabelecido entre os leitores.Durante a Primeira Guerra, Agatha trabalhou como farmacêutica, o que lhe proporcionou, segundo consta, grandes conhecimentos sobre poções e veneno, que seriam mais tarde empregados em suas obras.

Em 1920 aconteceu a publicação o seu livro de estreia, "O Misterioso Caso de Styles", protagonizado pelo detetive belga Hercule Poirot, que se tornaria um dos mais famosos personagens de toda a história da literatura. Na época, foi rejeitado por várias editoras, pois a ficção policial não estava muito na moda. Poirot seria protagonista de mais 33 romances e dezenas de contos.

Poirot era um homenzinho de aparência extraordinária. Tinha, aproximadamente, um metro e cinquenta de altura, mas seu porte transpirava grande dignidade. Sua cabeça tinha exatamente a forma de um ovo, e ele a conservava sempre ligeiramente inclinada para o lado. O bigode era firme e à moda militar. A elegância de suas vestes era qualquer coisa de incrível: acredito que uma mancha de poeira lhe causaria mais pesar do que um ferimento a bala. Todavia, esse baixinho e estranho pelintra, que, lamento dizê-lo, agora coxeava visivelmente, tinha sido, a seu tempo, um dos mais afamados membros da polícia belga.
Trecho de O Misterioso Caso de Styles

Dois anos depois da separação do seu primeiro marido, Agatha se casou com o arqueólogo e professor Max Mallowan, que havia conhecido em uma viagem à Mesopotâmia,13 anos mais novo que ela (foram casados por mais de 40 anos).Fizeram várias expedições juntos e os aprendizados que vieram a partir destas viagens a ajudaram a escrever algumas obras clássicas, tais como:

Morte na Mesopotâmia (1936)
Morte no Nilo (1937) – considerado pela própria seu melhor livro de viagem
Encontro com a Morte (1938)
E no final a morte (1945)


Em 1930, publicou o primeiro romance com a sagaz personagem Miss Marple, "O Assassinato na Casa do Pastor". Marple, uma simpática velhinha que se arvora a detetive e é uma espécie de alter-ego da autora, que foi protagonista de doze romances de Agatha Christie.

Em 1952, estreou em Londres sua peça "A Ratoeira" - a peça que ficou mais tempo em cartaz na história do teatro.

"— Se sua teoria estiver certa, o que não duvido nem por um minuto, a senhora obterá uma vitória sobre seu sobrinho.
Miss Marple sorriu também, um sorriso indulgente.
— Lembro-me de uma coisa que minha tia-avó Fanny costumava dizer. Eu tinha dezesseis anos nessa época e achava uma grande tolice.
— Sim?
— Costumava dizer: "Os jovens pensam que os velhos são tolos; mas os velhos sabem que os jovens são tolos!"
(Trecho de O Assassinato na Casa do Pastor)

Em uma carreira de mais de meio século, Agatha Christie escreveu 80 romances e livros de contos, além de doze peças de teatro. Além das peças, contos e romances de mistério, Agatha publicou seis romances românticos, com o pseudônimo de Mary Westmacott.

A escritora recebeu a mais alta condecoração do Reino Unido em 1971, tornando-se "Dame Agatha Christie”.

Agatha Christie morreu em 12 de janeiro de 1976. Seus ótimos livros, talvez os melhores em termos de mistério, até hoje encantam e surpreendem milhões de leitores, além de servirem como base para vários escritores ao redor do mundo.


Em 1989, estreou na Inglaterra, uma série com 12 temporadas, baseadas em contos estrelados por Poirot, sendo encerrada em 2009.
Continua...
Gabs Rohde

6 comentários:

  1. Grande Rainha do Crime! Este ano ainda não li nada dela, falta gravíssima para um fã como eu. Bom, se fosse para cotar o faeza, é o "E não sobreu nenhum" (o antigo "O Caso dos Dez Negrinhos"). Vale muito a pena ler ;)

    Dois abraços.

    ResponderExcluir
  2. Famosíssima, mas nunca li... Até me lembrei de um ex-colega de serviço, um cara muito esquisito(mais esquisito do que eu), louco(mais louco do que eu) e que não tinha muita cultura(mais inculto do que eu-rs), que adora ler Agatha Christie. Ele já faleceu.

    Bem interessante a vida da escritora. "Quem sabe, sabe, quem não sabe, bate palmas".

    ResponderExcluir
  3. Tio Verden dessa dama eu só li um livro e gostei embora não seja fã. Mas, confesso meu tio que achei seu comentário engraçado!!! :)

    ResponderExcluir
  4. Amei esse "documentário". Não sou uma grande escritora, mas foi lendo essa autora que aprendi a construir os mistérios da minhas tramas. Vou anotar essa data do seriado, porque tenho uma listinha de coisas que aconteceram em 1989 kkkk

    ResponderExcluir
  5. Muito bom este post!!! Agatha Christie merece um especial! Quanto não haverá de se contar sobre suas obras cheias de mistério que nos deixavam roendo as unhas de tanta ansiedade.
    Não deixando de citar o querido detetive Poirot.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu sou louca pelos livros da Agatha, e vocês duas sabem disso.
    Agatha, sem dúvida, é um dos grandes nomes da literatura policial. Seus livros são genais.
    E esse especial tá pra lá de bom!
    Parabéns a Gabi; e a você pela ideia, Jaci.

    Beijo!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner