Siga-nos por Email:

quarta-feira, 7 de março de 2012

Especial Falando de Amor: All You Need Is Love

♫ All You Need Is Love ♫
♫ All you need is love
All you need is love
All you need is love, love
Love is all you need ♫


Não, eu não me acostumo a esse mundo caótico e desumano. Não, eu não entendo o que leva pessoas a agirem brutalmente umas com as outras sem nenhum motivo aparente. Por que tanta violência? Para quê tanta tirania? Qual é a razão para tanta insensibilidade?

Falta amor nesse mundo? Não é que falte amor, porque amor não se dá em fonte ou algo assim, ou seja, não é algo esgotável. O amor simplesmente brota. Brota nos corações daqueles que se dispõem a amar. O amor pode desabrochar nos lugares mais imprevisíveis e nos corações mais improváveis. O amor transforma as pessoas. Basta que se queira ser transformado pelo poder do amor.

Sabe o que realmente falta? Vontade de amar. Falta interesse em dar um pause na própria vida, olhar para dentro de si mesmo e se enxergar de verdade. Falta vontade de olhar em volta e enxergar as pessoas e situações como de fato elas são. Falta calma para conhecer a si próprio, ter um franco encontro consigo mesmo, limpar a bagunça de sua alma e finalmente ser capaz de se amar, se entender e se respeitar. Falta paciência para entender as necessidades alheias e respeitar as estranhezas dos outros. É curioso e quase engraçado como as pessoas querem tanto sarar as enfermidades do mundo e solucionar os problemas alheios, que esquecem de olhar para si mesmas e, assim, perceber que pelo menos uma parte da parte da parte (...) do caos é causada por elas mesmas. Algo me diz que se cada um tentasse corrigir os próprios defeitos, suprir as suas próprias falhas e, só depois disso, pensar em apontar as imperfeições dos outros, o mundo seria um lugar bem menos conturbado e até mesmo feliz. Sabe aquela frase clichê que diz "A mudança começa em nós mesmos"? Então, ela é totalmente verdadeira, clichê, mas verdadeira.

Precisamos nos visualizar primeiro, enxergar cada qualidade que temos e cultivá-las; identificar cada falha e consertá-las tão logo for possível; perceber a nossa verdadeira beleza, que vai muito além do físico, e nos cuidar, nos amar. Feito isso, olhemos para quem está ao nosso lado, estendamos a mão a quem necessitar de nossa ajuda, amparemos aos oprimidos, lutemos por tempos mais justos para todos os povos. Amemos, porque amar é cuidar, é resguardar, é querer bem, é se compadecer, é... simplesmente amar.

Erica Ferro
___________

A Erica Ferro, menina apaixonada por literatura e todos os derivativos, escreve no Sacudindo Palavras, seu blog pessoal, e também no Gurias Arretadas, a ela deixo o meu muito obrigada por nos ter permitido publicar seu texto!

5 comentários:

  1. Que lindo. Lembrei de um conselho que eu ouvi de um médico, não sei se ele tirou de algum lugar ou foi da cabeça dele mesmo, mas me marcou. Ele disse mais ou menos isso: "Numa situação de perigo no avião, a instrução é para que a gente coloque primeiro a máscara de oxigênio em nós mesmos e depois a gente ajuda aos outros. Porque se você for tentar ajudar o outro a colocar a máscara sem você estar com a sua, o que provavelmente vai acontecer é os dois se darem mal. Você tenta inultimente colocar a máscara nos outros e não dá certo, porque você mesma está sem. Então... Quando você vai colocar a máscara de oxigênio?"

    ResponderExcluir
  2. É um ponto de vista bem realista sobre amar e não refiro-me somente aos amores românticos, mas em geral.
    Se até na Bíblia é citado amar ao próximo "como a ti mesmo", consequentemente, quem não se ama, não terá capacidade para amar ninguém.
    Belo texto.
    Parabéns as duas.

    ResponderExcluir
  3. Este é um tema muito interessante e envolve muitas formas de pensar e mesmo do sentir.
    Esta semana, lá no meu espaço, estamos numa Série- Formas de amar- com textos (prosa e verso) dos amigos que aceitaram meu convite.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto, Erica. Tenho a teoria de que as pessoas estão como estão por falta de espiritualidade. Já que quase ninguém mais acredita em religião, é preciso, de todo jeito, acreditar em alguma coisa, ter um parâmetro para se basear.
    Fundamental amar a nós mesmos, para depois sabermos amar aos outros. Mas para nos amarmos, precisamos de base, amor de mãe, de família, baseado noa amor a Alguém mais importante que nós. Aprender a respeitar também é fundamental.

    ResponderExcluir
  5. Erica, eu me vi totalmente neste texto. Eu tenho meus momentos de querer mudar o mundo, mas sempre que me entrego a rebeldia, percebo que quanto mais tentamos atacar o que está errado, mais revide atraímos, mas se procuramos nos melhorar e não aos outros, podemos acabar inspirando as pessoas à nossa volta.

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner