Siga-nos por Email:

domingo, 27 de novembro de 2011

Uma rosa...

Por esses dias estou tão mergulhada em alguns afazeres que nenhuma das minhas intenções de texto pode vim a luz... De maneira que agora me perguntava o que postar no Em quantos... Ai lembrei que a semana está começando e então lembrei de Manuel Bandeira e que talvez fosse bom começar a semana esquecendo meu mau humor típico de fim de domingo e começo de segunda-feira e pegar uma rosa/poesia emprestada do jardim dele...

Então compartilho com vocês a rosa que roubei do Jardim do Manuel Bandeira...



Eu vi uma rosa
(Manuel Bandeira)

 Eu vi um rosa
- Uma rosa branca -
Sozinha no galho.
No galho? Sozinha
No jardim, na rua.

Sozinha no mundo.

Em torno, no entanto,
Ao sol de meio-dia,
Toda a natureza
Em formas e cores
E sons esplendia.

Tudo isso era excesso.

A graça essencial,
Mistério inefável
- Sobrenatural -
Da vida e do mundo,
Estava ali na rosa
Sozinha no galho.

Sozinha no tempo.

Tão pura e modesta,
Tão perto do chão,
Tão longe na glória,
Da mística altura,
Dir-se-ia que ouvisse
Do arcanjo invisível
As palavras santas
De outra Anunciação.
_____________

Um dos maiores poetas brasileiros, Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho nasceu no Recife, Pernambuco, no dia 19 de abril de 1886, filho de Manuel Bandeira e Francelina Ribeiro de Souza. Foi ainda professor, jornalista, inspetor, tradutor e crítico literário. Manuel Bandeira viveu apenas o primeiro ano de sua vida no Recife, e logo se mudou para as cidades de Petrópolis e Rio de Janeiro, no Estado do Rio de Janeiro.

11 comentários:

  1. Linda a poesia, ótima a sua inspiração de postá-la.
    Manuel Bandeira é um dos nossos grandes nomes. Pela pequena biografia, vi que nasceu em 19/04, mesmo dia do nosso "Rei" Roberto Carlos.
    Sem querer comparar, de jeito nenhum, mas me ocorre que foi um bom dia de nascimento de dois grandes poetas.
    Boa semana, sem o mau humor do final de domingo, tá?
    Bj

    ResponderExcluir
  2. ja fiquei com vontade de deixar o meu mal humor de segunda feira pra outro dia...

    ResponderExcluir
  3. Bonito poema, bonito texto!
    Boa semana, sobrinha!
    Cheros!

    ResponderExcluir
  4. Linda rosa poética!

    Assim a segunda-feira fica mais leve...

    Uma ótima semana p/ nós!

    Beijosssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Texto lindo . Parabéns pelo Blog, seguindo co prazer. Abraços.

    http://papeldeumlivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Esse é um dos meus poemas preferidos do Manuel Bandeira!! E por incrível que pareça eu detesto mais as quartas do que as segundas! Não sei, na quarta parece que meu ânimo já foi embora!!!

    Bjs, Jaci!!

    ResponderExcluir
  7. Pandora,

    Ótima troca, de mal humor para M. Bandeira e a sua rosa, perfeito! Nada melhor do que começar a semana com poesia. Como sou mais debochada, começo as minhas sempre com M. Quintana, ele me entende como ninguém.
    Grandes beijos e ótima semana

    ResponderExcluir
  8. E não é que nos finais de domingo, qdo a gente sente a segunda feira chegando, somos em parte que nem esta rosa: sozinha no galho, na rua, na chuva, no sol - um mundo tão magnifico a nossa volta mas com a promessa de nos prender em algum lugar fechado.... é?

    ResponderExcluir
  9. Olá José Cláudio!
    Vim do blog do meu amigo Rodrigo (Bixudipé)para conhecer o seu.

    Que ótima escolha por "Eu vi uma rosa", não?!

    Estarei por aqui sempre que possível.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Olá Pandora!

    Estou feliz em recebê-la em meu blog =D

    E cá para nós: eu também nunca me dei bem com os amores de verão...rsrsrs

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  11. As coisas simples são mais belas (para mim). Acho que é por isso que me identifico tanto com a poesia do Manuel Bandeira. Acho sensacional. Abraços, Pandora. Paz e bem.

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner