Siga-nos por Email:

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Heróis e vilões

A morte de Bin Laden chocou-me profundamente.
Uma pessoa como ele, caçado por todos, odiado por meio mundo, não podia ser morto dentro de um refúgio.
Tinha que ser rendido e preso.
Para que pudéssemos olhar em seu rosto.
Acho que os que perderam entes queridos no 11 de setembro, há quase 10 anos, preferiam vê-lo vivo, humilhado, tentando se esquivar dos flashes.
Vê-lo preso seria parte do fim de suas agonias, pelos amigos e parentes mortos.
Quem deve, tem que pagar.
A morte foi libertação para ele. Agora ele é um mártir, para seu povo.
Uma glória vazia para os EUA. Mais uma demonstração de sua prepotência como nação.
Bin Laden era perseguido pelo mundo. Tirando seus seguidores, sua gente de mesmo pensamento, ideologia, motivação, qualquer nação poderia tê-lo aprisionado e entregado aos EUA.
O mais triste de tudo, a sensação que me fica, é de que foi tudo armado.
O momento foi esse, o dia, a hora, tudo estabelecido. Um show.
Sem direito a ver o astro principal.
Mais um espetáculo em forma de história.
Deixá-lo vivo, preso, seria uma constante preocupação para todos, pois tentariam de todas as maneiras libertá-lo.
Matá-lo foi a solução.
Mas fica a sensação de que as mortes todas daquele 11 de setembro foram em vão.
São eles, os mortos, os heróis. Vítimas de homens que se proclamam deuses e despejam sua fúria onde lhes aprouver.
Não foram mortos por Bin Laden, nem pelo fundamentalismo.
Foram mortos pela ganância dos homens. 
Queria Bin Laden vivo. O inferno é aqui.

3 comentários:

  1. É mesmo Lúcia!
    Preferíamos vê-lo preso, acorrentado e levado a um julgamento justo, principalmente porque esperava-se de um país dito tão religioso que agarrassem este homem e o mostrasse humilhado diante do mundo, julgado e preso perpetuamente. Mas não, fizeram justamente o contrário e com isso, para os fanáticos fundamentalistas, ele virará um mártir.
    E depois, violência gera violência, assim continuarão as trocas de ofensas e a guerra entre ocidente e oriente não acaba nunca.
    Muita arrogância desses americanos, esta é a verdade. E nem vão mostrar ao mundo nada de concreto sobre esta tal morte. Muito esquisito tudo isto.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  2. Tem razão, Lúcia. Parece, inclusive, que isso agora vai virar uma bola de neve. Os EUA já treinaram (quando foi de seu interesse) os homens que hoje fazem parte do Taliban, AlQaeda, Líbia, Iraque e outros. Juntaram esse treinamento militar fantástico com fundamentalismo e agora acho que dificilmente o mundo terá uma paz duradoura. ABraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lúcia

    Também fiquei com essa impressão de dia e hora marcados para o fato.
    Esse senhor devia estar vivo e ser julgado, mas ainda há muitos como ele que merecem julgamento e prisão, inclusive os que o criaram.
    O fanatismo religioso é um dos piores males do mundo.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner