Siga-nos por Email:

sexta-feira, 22 de abril de 2011

SARTRE E BEAUVOIR

Arte: Maurizio Anzeri

Quando se sentaram à mesa no primeiro encontro, sem nunca se terem visto antes, já se conheciam intimamente. Há semanas e semanas.
Enquanto se via ao espelho antes de sair, ela pensou se não teria exagerado no Photoshop. Ele colocou o smartphone à mão, não fosse precisar de repente de recorrer ao Google, caso ela o inquirisse sobre um livro que ele não tivesse lido, ou sobre alguma daquelas pinturas que ela gostava de colocar no "mural" da sua página no Facebook.
Conheciam-se intimamente numa intimidade que não existia.
Ela tinha instalado um programa de citações no iPad, ele tinha lido o Manual do Blefador.
Jantaram num silêncio cúmplice, na sombra das suas personalidades idealizadas.
O verdadeiro saber demora muito. Googlar está ao alcance dum clique. Sartre e Beauvoir só precisam duma conta no Facebook e no Twitter, um smartphone e um iPad...
Já não é preciso ter a fama dum Sartre para se ter sucesso com uma Beauvoir.

7 comentários:

  1. Nos casos atuais é provável que protagonistas desses enconros sequer saibam quem foram Sarte e Beauvoir.rsrs. Sensacional! Abraços. paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Cacá:

    Atualmente tudo é acionado através da tecnologia e provavelmente nesse encontro a filosofia de Sarte e Beauvoir não se fez necessária, afinal como você tão bemdescreveu, existe o orkut, twitter, face book e afins..

    Uma pena né Loli? mas como eu ja mencionei anteriormente: A tecnologia nos rouba a poesia de outrota;

    Embora seja uma mera aprendiz; A FILOSOFIA desse casal me encanta.

    Paz e Luz!

    ResponderExcluir
  3. Oi Loli!

    Há algum tempo li a “Crítica da Razão Tupiniquim" de Roberto Gomes, citado lá no "Manual do Blefador".

    O que foi que houve com o amor romântico, não?! Antes, seu fôlego vinha das famílias que se opunham, de promessas trocadas, uma grande diferença de idade, de obstáculos e desencontros fatais.

    Hoje recai numa intimidade simulada, cuja experiência se reduziu ao blefe e a mediocridade de um clique. Uma avalanche de informações disponíveis, diferente do conhecimento. Uma repetição de sensações perdidas e reduzidas a um fim sem começo e sem nenhuma intensidade.

    Adorei ler-te aqui!

    Carinhos e beijos!!

    ResponderExcluir
  4. Lolipop, todos falaram o que eu falaria.
    Uma pena, mesmo, que a tecnologia esteja acabando até com a inteligência dos jovens.Fico apreensiva quanto ao futuro dos meus netos...
    Feliz Páscoa para você e sua familia.

    ResponderExcluir
  5. Oi Loli

    O romantismo foi trocado pelo querer saber mais que o outro, usar melhor a tecnologia. Há uma luta entre a beleza e o conhecimento da nova tecnologia.
    Sensacional o texto. Parabéns!

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderExcluir
  6. Querida Loli!
    Que beleza de texto! Pequeno e cheio de conteúdo e mensagem.
    Nem sempre o que está atrás da telinha é aquilo tudo que diz, devemos ter cautela neste mundo virtual a cada dia.
    bjs cariocas

    ResponderExcluir
  7. Loli

    Que bom te encontrara aqui também. Parabéns pelo Blog de um grupo de amigos onde alguns ainda não conheço ,mas com certeza já estou a conhecer.
    Um conteúdo tão enriquecedor que para não perder seus posts já sou assinante.

    Uma pena que a tecnologia em grande parte tira todo aquela beleza e charme dos velhos tempos.

    Grande beijo

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner