Siga-nos por Email:

domingo, 7 de outubro de 2012

Aluna e professor



É dia de eleição para vocês. No meu cenário não. A moça que me dita as palavras já votou, cumpriu seus direitos e deveres de cidadã. Será que ela é cidadã só no dia do voto? O professor dela diz que sim. Ele diz que a democracia no Brasil só existe no dia das eleições. Ele disse isso na aula do mestrado! Ele é marxista, então vamos dar um desconto. Também questionou: de qual democracia e de qual cidadania estamos falando? Na teoria dele é assim. Ela e ele não batem bem. Nasceram no mesmo dia, dois sagitarianos do mesmo decanato, falam impulsivamente. Os dois juntos, numa mesma sala de aula, é uma barbaridade. Fazem uma conversa entre inconscientes, entre não ditos e coisas indizíveis. Esses dois não prestam! Ela ama a aula dele, é divertida. E se diverte com a espontaneidade e cinismo (ela prefere dizer ironia) dele. Mais ainda: ela ama desestabilizar o norte da explicação e as provocações que ele faz. Logo ele se perde e olha para ela com a aquela cara de quem diz: o que era mesmo que eu estava falando?

4 comentários:

  1. Essa relação de aluno (a) e professor (a) é algo que sempre acontece. Acho que é mto pela atração por alguém mais velho, mais sábio..
    Interessante texto

    ResponderExcluir
  2. As mensagens, sempre subliminares. Adoro o que vc escreve!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este pensador, viajeiro entre Sois
    Esta Ave pousada em mil embarcações
    Esbarco que passa sem vela ou remo
    Esta arca repleta de vibrantes emoções

    Esta mestiça flor de açafrão
    Este ramo de espinhos cravados na mão
    Esta alma que não ousa largar opinião
    Este homem vestido de solidão

    Boa semana

    Doce beijo

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner