Siga-nos por Email:

domingo, 1 de abril de 2012

Virando gente...




Bem, peço desculpas aos meus colegas blogueiros, sumi sem nenhum aviso aparente. É que muitas coisas aconteceram desde a última vez que estive aqui. O tal problema com o currículo lattes foi resolvido e faltando 1 hora para o prazo de inscrição se findar, estava inscrita para seleção do mestrado (multidisciplinar, com foco em ciências sociais), ainda que meu projeto de pesquisa (na área de educação) tenha sido enviado com algumas (várias) falhas...

Era 22 de fevereiro, na semana seguinte teria a prova escrita. A bibliografia indicada era de 9 livros dos quais eu nunca tinha lido e só tinha ouvido falar de uma das autoras, Hannah Arendt, não sendo, de tudo, desanimador. Seria impossível conseguir todos, ainda que o Google disponibilizasse artigos sobre os mesmos.

No dia seguinte, parti com uma turma de amigos para uma viagem combinada na praia. A prova escrita foi na segunda-feira, dia 27. Sou daquelas que só gosta do sol da manhã e do fim da tarde, então entre as 10:00 e as 16:00 horas, dos 4 dias que estava lá, aproveitava para estudar numa mesa da sala com vista para o mar.

Voltamos às 5 horas da manhã de Ubatuba – SP, para uma cidadezinha do sul de Minas onde trabalho em duas escolas – com os horários mais loucos do mundo, neste dia, no período da tarde até às 17 horas.

O horário da prova foi às 18:00, um amigo me levaria para Itajubá, cerca de 70 km de onde estávamos. Cheguei, talvez, às 18:07, a porta já estava fechada. Bati, o professor abriu, perguntei se poderia fazer a prova e ele respondeu que só deixaria porque não havia entregado para ninguém ainda.

Li as orientações, anotei os 4 últimos dígitos do CPF e comparei as duas citações. Uma de Marx falando sobre trabalho, a máquina e alienação, e outra de Paul Singer sobre economia popular solidária. A proposta era dissertar sobre eles em relação com a bibliografia indicada e um parágrafo final em que articulássemos essas questões com nosso projeto de pesquisa.

Fui a última a entrar e a última a sair. A prova poderia ser feita em até 4 horas, passei os primeiros 30 minutos tremendo, era a primeira vez que fazia uma prova para concorrer ao mestrado, estava numa sala com 40 pessoas e havia mais outras duas salas como aquela. Dos 103 candidatos, seriam selecionados até 40 para concorrerem na segunda etapa: análise de currículo lattes e do projeto de pesquisa.

CONTINUA NO PRÓXIMO DOMINGO

5 comentários:

  1. Vida de estudante, combinada com vida de dona-de-casa, mulher (esposa), profissional, é fogo!
    Espero que conte se passou, no próximo domingo. Torço para isso!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Uau!!! Me vi em você!!! Também cheguei atrasada no dia da seleção, as meninas me aceitaram pelo mesmo motivo: ainda não tinham entregado a prova!!! Eu passei a primeira meia hora tremendo e tentando controlar a tremenda crise asmática que estava tendo, no meio da prova, devido ao nervosismo comecei a sentir as cólicas, sim quando fico nervosa minha menstruação vem... Foi um drama!!!

    E sim, competi com 300 pessoas, para 50 vagas, no mestrado também em Educação, para glória de Deus deu tudo certo... Mas, até o tudo certo temos que lutar tanto néh!!!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela sua vitalidade. Não é para quem quer, mas para quem pode.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Caramba que aperto! To torcendo por vc, porque pretendo um dia fazer a mesma coisa. E mesmo uma tormenta essas provas de faculdade. Uma amiga minha foi tentar a monitoria e dos livros todos que a bibliografia mandara ela usar, acredito q nem usou nada, só escreveu o que ela tinha aprendido no curso mesmo.

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner