Siga-nos por Email:

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Coisas idiotas que nós amamos.



Eu percebo que sempre existiu entre nós pessoas um certo preconceito contra os gostos. Por mais que se ecoe por aí que "gosto não se discute", sempre que alguém diz que gosta de algo que achamos bizarro, subestimamos sua inteligência. Não é verdade?

Confesso que eu mesma já fiz isso e depois quebrei a cara. Conheço uma garota que gosta de teletubies mas que escreve como se fosse uma historiadora formada. O gosto não revela a inteligência, e nem sempre mostra quem a pessoa é. Essas coisas descobrimos quando observamos as atitudes das pessoas e a forma como elas se colocam no meio acadêmico. Troféus também não indicam sempre o QI da pessoa, até porque ganhar de alguém que não sabe nada não é uma glória. O bom é quando o adversário é forte e você o teme, porque aí a vitória vale a pena, mas mesmo assim, o troféu só prova que numa determinada ocasião você foi melhor que o fulano. Nada impede o fulano de ganhar de você alguma outra vez.

Mas enfim, voltando tema, quem aqui nunca gostou de algo esdrúxulo? Eu pessoalmente adoro colecionar coisas bizarras, por exemplo, a frase que mais gostei de Game of Thrones é essa: "Por que os ursos cagam na floresta? Por que é a sua natureza". Sem o contexto fica mais bizarro ainda pensando bem... o que quero dizer porém, é que as coisas idiotas que gostamos são uma forma de relaxar. Tenho pena de quem só gosta de filme cult porque tem que botar os neurônios para funcionar o tempo todo, e isso faz mal gente. É sério! Vi uma reportagem outro dia sobre um garoto que teve uma convulsão depois de passar 24 horas estudando direto.

Temos que ter mais coragem de assumir nossas queridas idiotices, e ter tolerância com a dos outros. Preconceitos só nos fazem mal. Eu por exemplo, me amarro em Icarly. É um programa pra adolescentes eu sei, e é uma bobeirada danada, mas me desestressa e me faz rir. Se me faz bem, qual o mal de ser idiota? Vai diminuir meu QI? Acho que não. É claro que uma coisa cult de vez em quando também faz bem. Outro dia vi Matrix pela primeira vez (pasmem) e foi uma revelação pra mim. E olha que era o segundo filme hein? Um monte de gente diz que o segundo nem é tão bom. Um dos motivos que me levou a não assistir Matrix na época em que foi lançado, foi o sucesso que fez. Virou moda muito rápido, e tinha um monte de mentiras hollyoowdianas idiotas. Tenho pena de mim hoje em dia. Perdi tantas coisas boas só pra me sentir inteligente. Há só uma palavra que descreva essa atitude: Lamentável...

Um comentário:

  1. Alê, está certíssima. Temos que gostar do que quisermos e ser respeitados por isso.
    Beijo!

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner