Siga-nos por Email:

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

O que não gosto em BH

 (Escrevi e postei esse texto em 27/06/09,  um sábado, no dia em que li reportagem sobre a lei sancionada pelo prefeito.
Publicado no extinto "De amor e de...". Um dos meus textos preferidos.
É preciso observar a completa ironia no que escrevi).

Gente, ói só: BH (Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais, terceira do Brasil em importância), foi considerada "a capital mundial dos botecos". Com Lei sancionada pelo Prefeito, tem até número, tudo legalzinho: Lei 9.714. Com ela fica estabelecido que todo terceiro sábado de maio seja comemorada a data. Quem sabe até vira feriado? 
Uai, isso é por demais bacana, tem que aplaudir. Acho que o Prefeito também deve ter sancionado uma Lei que determine que todo bairro tenha uma creche. 
Sabe creche, aquele lugar onde podemos deixar nossos filhos sendo olhados e educados enquanto nós trabalhamos? 
E ele deve ter sancionado mais uma Lei, aquela que determina que todos os postos de saúde da cidade tenham mais médicos, que ganhem melhor e possam atender melhor à população. Uai, será que não tem essas Leis? Como não?
Bom, ter um lugar pra lazer também é importante sim. Todo mundo precisa espairecer, tomar uma dosezinha de seja lá o que for, fazer uma paradinha antes de ir pra casa depois de um dia de trabalho. Bom que tenham bares e botecos, que estes sejam vistoriados.
BH é conhecida já mundialmente mesmo como tendo muitos bares. Dizem até que "BH não tem mar mas tem bar". Ói que bão?! Dá um orgulho, né?
Mas o Prefeito tem que entender que os bares e botecos não têm que ser incomodados pelos fiscais que não podem obrigar os fregueses a conviver com "ações truculentas, eles chegam retirando mesas das calçadas, transformando um momento de lazer em tensão". Ói só, sem essa de achar que mesa na calçada atrapalha o pedestre, obrigando-o a passar pela rua. Pura implicância!

 A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes/Abrasel vai até se reunir em congresso no RS, Porto Alegre, pra deliberar sobre as leis que protegem ou atormentam donos de bares. A questão de garçons e garçonetes terem que falar outra língua além do Português é importante para o setor. Cursos profissionalizantes têm que valorizar o estabelecimento, tanto no atendimento quanto na qualidade da comida. E tem-se que ter um enfoque turístico, uai! Vir a Minas e não passar por BH pra conhecer seus bares? Impensável!
Não precisa passar por Ouro Preto, Mariana, São João Del Rei, Araxá, São Lourenço, Poços de Caldas, Brumadinho...Aí, bem pertinho de BH tem Inhotim, um lugarejo onde um empresário tinha uma fazenda e a transformou em museu, uma coisa paradisíaca, digna de constar em todos os guias mundiais, e consta! Vai lá, depois de passar pelos bares de BH, sô!
 Teve até um fulaninho que disse que com esse título oficial, a Lei Seca devia ser flexibilizada. Ói só, que idéia boa, minino! Se as coisas não voltarem ao que eram, é preciso que se coloque um ponto de táxi em frente a cada bar, uai! Pelo menos esse aí tem juízo, não vai sair pra beber e depois pegar o carro. Também, quem faz isso não tem culpa por dirigir depois de beber e que tenha gente em ponto de ônibus, cansado, "doido" pra chegar em casa e se ele perde o controle do carro e o joga sobre a calçada, atropelando o cidadão, pior pra esse, que "marcou bobeira" ali, parado. Ou aquele que se defronta com um poste bem no meio da rua, diacho, tá fazendo o quê, logo aí?
E a universitária entrevistada disse que acha bom o título, mas sua professora diz que BH tem mais bares que livrarias e que seria bom o título de "Capital Mundial das Livrarias". Isso sim, heim, Prefeito, daria uma boa Lei, né não? Até que tem alguns bares chics com livraria dentro, mas é pra uma minoria.
E ocê aí, que fala mais de uma língua, ralou em banco de Faculdade, tem mestrado, talvez doutorado e não tem emprego, quem sabe descola algum num bar de BH? Vem pra cá. Enriquece seu currículo, a coisa é boa, tem até Lei sancionada! E gerente de bar classe A de bairro idem diz que "possibilita a BH ter uma identidade reconhecida".
Ói que coisa, gente! Dá até "ripio", magina, ocê morar num lugar bacana, cheim de bar e boteco reconhecidos no mundo todo! É trem bão dimais da conta, uai!
O projeto foi de um Vereador do PV. Sabe aquele partido que supostamente tá preocupado com a preservação do meio ambiente no Brasil? Intão. Ele messs.
Ói, tá bão dimais prosear com cês mas vou é sair agora. Prum barzim. Tomá uma branquinha, que hoje é sábado e ninguém é de ferro e também sô fia de Deus. Inté!
(Foto do Museu Inhotim, de Brumadinho/MG e de um dos tantos bares de BH. Google)

5 comentários:

  1. BH é uma cidade encantadora e cheia de coisinhas para se ver e fazer. Eu não curto muito esse negócio de barzinho em cada esquina, simplesmente porque aqui em Niterói é assim também, e isso só traz barulho e confusão para quem mora perto, como eu.
    Uma coisa que me incomodou demais neste carnaval, por exemplo, é este incentivo à bebida junto com sexo. Você reparou as propagandas das grandes cervejarias? A tal Devassa então, que bandalheira! E isso me preocupa demais, pois tenho filho jovem que passa carnaval no Rio, longe da gente, e falo todo dia e toda hora sobre os problemas de beber e dirigir. Ele parece ter encaixado isso, mas eu sei que não há como fugir de um carnaval onde a bebida é um elemento presente em cada esquina.
    E o número de pessoas mortas nas estradas, principalmente as mineiras, um exagero, um desperdício.
    beijos cariocas

    ResponderExcluir
  2. Pois é Lucia. Os botecos com sua comidinha mineira não deixa de ser uma delicia, mas precisa ser tantos assim? Precisa virar Lei? Ter dia próprio?
    Um desperdicio e falta do que fazer, pensando em tantas necessidades não atendidas como saúde, educação, etc etc e tal.
    Imagino que 'Beagá' vai muito além disso. Aliás, tenho certeza. Claro que os amantes de boteco não reclamam, mas com certeza há inumeros problemas decorrentes desde 'monte' de botecos.

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Algumas prioridades realmente são distorcidas nesse país o problema é geral.
    Amei o post.

    ResponderExcluir
  4. Esse teu texto é um perfeito desabafo.

    Bjao

    ResponderExcluir
  5. Sempre bom um bate papo em um bar e se for a beira de praia aí é para não ter hora para acabar!
    Sempre tem algo que tem que se reclamnar e acho que o se desabafo tem sua razão. Taxi é primordial ter disponível ou ter um amigo que não bebe e aí passa a ser o motorista.

    stou respondendo com o link da Saleta de Leitura e se fosse ter que trocar nunca que comento em seus posts.

    Tenho lido o seus posts do Sem medida pelo feed e depois passo lá para uma visita.

    Beijos

    Irene

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner