Siga-nos por Email:

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Gosto não se discute

É sabido que gosto de TV. Acho um dos grande inventos da humanidade. Coisa deliciosa, uma companhia, uma distração.
Mas deu-se que agora ficou brega gostar de TV. Sim, quem assiste TV agora é o povão.
E dá-lhe que todo mundo critica um programa e ainda por cima malha a todos que gostarem dele.
Acho que gosto é particular, cada um tem o seu.
Por esses dias comecei a assistir a série "5 Mulheres ricas" e me deparei com a rejeição quase que absoluta de todos que também assistiram o 1º programa, na 2ª feira anterior e nessa agora. A série está no horário do CQC, que está de férias. Outro programa odiado pela maioria dos que se manifestam.
 Curiosamente, nenhum dos programas é da Globo, pois esta pode passar qualquer coisa e ainda assim ser líder de audiência.
Porque a Globo sabe se vender, sabe dourar pílula e até o pior programa vira sucesso nela.
Está meio cansativo tudo ser criticado, todo mundo apontar o dedo para as falhas do outro, esquecendo, muitas vezes, as suas próprias.
Gostar ou não gostar é particular. Nem por isso posso condenar quem pensa diferente de mim.
E uma novela como Fina Estampa, que mostra uma vilã absolutamente caricata como a Tereza Cristina, é um sucesso desses que vemos.
E hoje termina a minisserie sobra a vida da Dercy Gonçalves, que está uma delícia de se ver, principalmente pela interpretação da Heloísa Perisée, uma verdadeira surpresa. 

E as mulheres ricas apontadas no programa da Band são apenas um pedaço mínimo da representação do que seja riqueza, mesmo porque poucos são os que querem se expor como elas o fizeram.
Mas não achei nada de mais  do programa.
Retrata a vida de pessoas que têm bens materiais, mas que buscam algo que o dinheiro não pode nunca dar.
Gostei de assistir, de poder presenciar até onde vai a futilidade humana, como pessoas podem não ver a vida à volta e só pensar em si mesmas.
Algumas são mulheres fortes, que batalham no dia a dia, exceto a loira idiota chamada Val, que é claramente uma biscate que enriqueceu e é tão deslumbrada que não percebe que vai se enforcar com sua própria corda.
Há programas que são para serem vistos sem intenção outra que não seja o entretenimento, mesmo porque passam em horários compatíveis com o tema, então é para ser assistido por adultos, pessoas que têm formação suficiente (ou deveriam ter) para saber discernir sobre o que estão vendo.
Não entendo a maneira como as pessoas, em geral, seja em blog, ou no Facebook, ou no Twitter dão seu veredito negativo sobre o que não gostaram e ainda agridem quem gostou, como se só a opinião dela valesse.
Para mim é ótimo poder assistir o que quiser; é ótimo ter o controle na mão e poder usá-lo como quiser; é bom demais contar com uma companhia que me distraia, me indigne, me chateie, me faça rir ou chorar, enfim, que seja verdadeiramente uma companheira.
Posso ler um livro, posso ficar na internet, posso dormir mais cedo, posso ficar batendo papo ao telefone, posso sair para uma visita, posso fazer N coisas que não seja assistir à TV.
Mas gosto de ficar em casa e gosto da companhia dela.
Um direito meu, que não me diminui em nada.

12 comentários:

  1. Tens razão.Podemos fazer o que quisermos, ver tv é uma delas. Fico zapeando até encontrar algo que gosto. Pronto!!! beijos,lindo fds!chica

    ResponderExcluir
  2. Lúcia depois de começar a ter Twitter eu passei a desconfiar que não é só a grande massa das classes D e E que curtem TV pq para essas pessoas a net não é tãoooo fácil assim... As vezes o povo que critica a televisão é muito hipocrita, critica BBB, mas assiste do começo ao fim, fala mal da novela das oito, mas sabe o nome de todos os atores... Sei lá, quem não gosta mesmo não assiste néh?!?!

    Também vejo televisão, também amei ver Dercy, embora ache um tanto hipocrita da parte da globo fazer isso só depois que ela morreu, pq não fizeram quando ela estava viva e podia se emocionar vendo sua história, pq deixaram ela tantos anos no ostracismo??? Nos seus ultimos anos quem deu apoio a ela foi o Senhor Abravanel e não Roberto Marinho, eu gostava da Dercy então vi muitas vezes o quanto ela tinha magoa da Globo e se sentia injustiçada!!!!

    Enfim... Gosto não se discute, ou até se discute desde que não seja para colocar alguém para trás, dinimuir ou humilhar!!!

    Como sempre amoooo sua criticidade!!!

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente! Aliás, acho que as pessoas falam mal da Tv, principalmente a aberta, para parecer cult! Já faz muito tempo que não assisto a novelas, mas confesso que recentemente passei a me divertir com a Tereza Cristina e estou adorando a Dercy e olha que eu nunca gostei da Heloísa Perisée!!!

    Tive um professor de literatura na faculdade, um desses super fodões, que um dia comentou o capítulo da novela em sala de aula e ainda disse para o povo deixar de ser hiprócrita e assumir que às vezes todo mundo assiste a alguma coisa super brega ou de má qualidade!

    ResponderExcluir
  4. Lúcia querida!
    Tens razão, gosto não se discute, principalmente sobre este assunto, política e religião.
    E eu continuo sem muito interesse pela tv, embora tenha assistido a dois capítulos sobre a vida da Dercy que pedi para meu filho gravar pra mim. Vou ver se consigo assistir hoje ao último. E está com uma excelente qualidade o trabalho que fizeram de recomposição das épocas, cenários e a própria personagem.
    um beijinho carioca e boas férias!

    ResponderExcluir
  5. Eu concordo com tudo que vc falou.
    Eu não gosto de quem fica criticando as coisas. Cada um faça o que tiver vontade. E geralmente quem fica criticando algo é porque esse algo o perturba, que tem inveja, não sei.
    Assista o que der vontade, Lúcia, e não dê ouvidos ou olhos a quem só enxerga o outro como um ser manipulado.

    ResponderExcluir
  6. Confesso que também assisto algumas das ditas "besteiras". Assisto uma novela e alguns programas de humor escrachado e me divirto muito.
    Concordo que cada um assiste o que quer, mas gostaria de questionar alguns pontos.
    Se a pessoa não assiste, dizem que ela não pode criticar porque não sabe do que está falando. Se a pessoa assiste um pouco, dizem que ela é hipócrita por criticar mas assistir. Não existe aí um paradoxo? Ou seja, ninguém pode criticar nada, ninguém pode falar contra algo sem ser rotulado de ignorante ou hipócrita? Existem coisas que a gente precisa experimentar para saber que gosta, mas não preciso comer caca pra saber que não é bom.
    Acredito que a crítica seja importante em todos os aspectos de nossa sociedade. Não podemos relativizar tudo. Não podemos aceitar tudo como se fosse normal ou aceitável.
    Esse programa da Band, das mulheres milionárias, por exemplo, eu me recuso a assistir. Acho absurdo dar espaço e popularidade para uma pessoa que atira ovos podres nas pessoas (Narcisa) ou que coloca uma música e fica dançando para debochar das pessoas que foram assistir a uma palestra que deveria ser séria sobre arquitetura (Brunette). Eu estava presente nessa palestra e fiquei pasma com a atitude ridícula dessa que se diz decoradora. Queria ver se ela faria isso se fosse uma pessoa que precisasse do trabalho para viver.
    Existem alguns parâmetros que a gente pode seguir para decidir entre assistir ou não a um programa. A própria chamada do programa já diz muito sobre ele. E assim como escolhemos um livro pelo autor que já nos agradou, também podemos assistir a programas cujos autores, produtores, diretores e atores já tenham nos agradado em outras ocasiões.
    Eu cuido da minha alimentação, não só do corpo mas principalmente da mente. Então prefiro não consumir tanta porcaria. Eu sempre digo que uma porcaria de vez em quando não mata ninguém, mas com muita frequência mata sim!

    ResponderExcluir
  7. Amo tv, e adoro um monte de programas que as pessoas criticam e quer saber? Tô nem ai....um grande bjo

    ResponderExcluir
  8. Verdade, Tita. Muita porcaria não faz bem a ninguém.
    Sou uma pessoa muito crítica, parei com meu blog justamente por ser contestadora e ir a favor ou contra o que a maioria diz.
    Claro que criticar é benéfico e só se deve criticar quando se tem conhecimento de causa. Ninguém precisa consumir nada que não queira, mas o ponto que quero mostrar é que hoje quase todo mundo contesta tudo e acha horrível tudo.
    Assisto e irei até o fim com as mulheres ricas, justamente porque a vida delas é tão radicalmente diferente da minha, que simplesmente estou curiosa. Nem toda pessoa de dinheiro é boba, exibicionista e fútil como as focalizadas.Elas não despertam em mim senão curiosidade. Nada tenho a aprender com elas, só assisto, repito, por curiosidade.
    Também não gosto de N programas, mas cada um assiste o que gosta e ponto, né? Só podemos dar nossa opinião, sem desmerecer a quem assiste.

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito de documentário sobre a vida das pessoas. Perdi esse da Dercy, mas vou ver se consigo assistir através de vídeos.
    Vejo pouca tv, mas estive adoentada esses dias e assisti um pouco mais. Descobri uns programinhas interessantes, em horários que a tv costumava ficar desligada...
    Gosto realmente não se discute. Quando vejo críticas exacerbadas contra BBB, novelas e coisas do gênero, simplesmente não ponho lenha na fogueira. Não assisto e pronto. Quem gosta, vê, simples assim!
    Bom domingo!

    ResponderExcluir
  10. Claro que temos direito a assistir ao que queremos, Lúcia. A vida não pode ser levada a sério o tempo todo, precisamos de diversão.
    Tanto que assisto ao CQC, sim. Embora ache que em alguns momentos eles passem do ponto. Dou boas risadas com Furo MTV (pura besteira) e Marcelo Adnet ao Vivo (que considero um dos mais inteligentes comediantes do momento).
    No momento em que colocamos nossa opinião sobre algo algumas pessoas vão concordar e outras vão discordar. Isso é normal e saudável. Afinal, ouvir opiniões diferentes nos faz questionar nossas convicções e conhecer coisas novas ou ver as mesmas coisas sob outro ponto de vista. Mas claro que isso também é o MEU ponto de vista. Há quem pense diferente. Ainda bem, porque se todo mundo pensasse igual o mundo seria muito chato. :)

    ResponderExcluir
  11. Lucia, lendo este teu post fiquei morrendo de saudades das séries brasileiras que diga-se de passagem sao ótimas.

    Claro que na TV tem de tudo, aqui tb tem umas abobrinhas, faz parte. Até mesmo para aprendermos a selecionar o que é bom.

    Gostava da Dercy. Ela falava palavroes como nnguém. Vou ver se acho alguma coisa no you tube

    Te desejo uma linda semana


    Bjao

    ResponderExcluir
  12. Querida, eu também - confesso - assisto Mulheres Ricas. E adoro! Queria que fosse novela! Aquilo é muito divertido, quanta futilidade, bobagem, e adorei a definição da loura Val (qual será o verdadeiro nome dela?): biscate que arrumou um ótário pra lhe patrocinar.
    Mas não é bem legal ouvir toda aquela futilidade inútil? Eu super prefiro do que a novela mexicana global - devem estar testando o limite intelectual da audiência da TV aberta - ou do que eu execro desde sempre, mas já tem 12 anos de sucesso: o BBB (aquilo sim é baixaria pura, grotesco, boicoto mesmo, assisto não, sei que existe).

    bjnhs

    ResponderExcluir

Para receber as postagens por e-mail:

Digite seu email aqui:

Delivered by FeedBurner